• Culturae Compendium

A PORTA AZUL


Se um dia houve dúvida, ela foi embora.

Como a tinta azul de uma porta que se destaca no meio de uma grande parede branca; o tempo, a chuva e o vento arrancaram sua perfeição juntamente com sua tinta e deram lugar a algo novo: a realidade.

E a realidade tem manchas, marcas e descasca. Seus pedaços não são simétricos e o tempo a gasta de forma ilógica. Ela é simples como uma antiga porta azul que empresta sua beleza para uma parede branca com pouca graça, é humilde como alguém que cede sua história; e acolhedora feito uma paz quente que brota no peito quando se descobre o amor.

Você é real. Você empresta a sua beleza para dar graça à vida, suas dores para consolar as minhas, suas marcas para encaixar nas minhas.

Te amar é simples como ver a poesia de uma porta azul gasta pelo tempo embelezando uma parede branca.

E eu te amo porque sei que você também enxerga a porta azul atrás dos seus olhos. Porque assim como eu, você vê o mundo de outro ângulo. Temos nossa própria linguagem, talvez de cabeça pra baixo, de costas, de trás pra frente, ao inverso; e com ela nos comunicamos e amamos.

Porque você é o ''muito mais do que pedimos ou pensamos" que Deus colocou na minha vida, te escolhi.

E te escolho todos os dias, para sempre.


Cora P. Hildegard

Enasfecc

® 2018 por Culturae Compendium.